Estudos Bíblicos diversos

"A seguir, levantou-se e foi para seu pai. "Estando ainda longe, seu pai o viu e, cheio de compaixão, correu para seu filho, e o abraçou e beijou." (Lucas 15:20)

Ser pai é muito, muito mais do que dar uma contribuição biológica, mais do que sustentar e educar, mais do que assumir a paternidade legal, mais do que assinar os papéis. Ser pai tem muito de inexplicável, como no comportamento deste pai de Lucas 15.

Essa parábola que ficou conhecida como "filho pródigo" nos mostra um verdadeiro pai, um exemplo a ser aprendido. Esse homem teria toda as razões lógicas, políticas, emocionais, familiares, financeiras e até legais para não querer nunca mais saber de seu filho. Ajudei, há alguns anos, a um amigo se reconciliar com seu pai, também meu amigo. Um pai não pensa só com a cabeça, não sente só com o coração, não analisa só com o pensamento.

0
0
0
s2smodern

"Jesus lhes deu esta resposta: "Eu lhes digo verdadeiramente que o Filho não pode fazer nada de si mesmo; só pode fazer o que vê o Pai fazer, porque o que o Pai faz o Filho também faz." (João 5:19)

Vivemos num tempo em que ao falar de herança imediatamente as pessoas pensam em propriedades, imóveis, empresas, dinheiro, enfim, bens materiais. Mas vemos na Bíblia que Jesus é herdeiro do Reino de Deus e nós co-herdeiros com Ele.

De igual sorte nós, como pais neste mundo, devemos ensinar nossos filhos que eles podem receber herança de nós, sem que isso os deixe abastados financeiramente. Não é errado deixar uma casa ou dinheiro de herança. Eu até este momento não recebi nada de meu pai, que faleceu em 1997, e pra ser sincero, só sinto falta dele e não de algum bem. Herdei de meu pai um senso de honestidade ímpar, uma virtude para o trabalho que tem me feito destaque e um coração generoso. Deixou-me bem escolado (o melhor que pode) e me mostrou valores como pontualidade, retidão, nunca mentir e jamais desrespeitar um superior ou mais velho.

0
0
0
s2smodern

"Terminado um período de banquetes, Jó mandava chamá-los e fazia com que se purificassem. De madrugada ele oferecia um holocausto em favor de cada um deles, pois pensava: 'Talvez os meus filhos tenham, lá no íntimo, pecado e amaldiçoado a Deus'. Essa era a prática constante de Jó." (Jó 1:5)

Ainda que Jó tenha vivido muitos séculos antes de nós, seu exemplo merece ser observado. Um pai dedicado e temente a Deus valoriza muito a santidade, a purificação e a integridade de seus filhos diante do Senhor. Ao invés de nos atermos a itens polêmicos e práticas de pouco proveito, muito bem poderíamos focar, assim como Jó, na imagem de nosso filhos diante de Deus.

0
0
0
s2smodern
0
0
0
s2smodern

“Se eu no coração contemplara a vaidade, o Senhor não me teria ouvido.” (Salmos 66:18 ARA)

A tradução da Bíblia em português Almeida Revista e Atualizada diz, neste versículo, “contemplara a vaidade”; outras traduções dizem “acalentasse o pecado” (NVI), “guardado iniquidade” (Revisada IB), “intentasse o mal” (Católica). Todas falam dessa atitude no coração.

A passagem fala de uma atitude cultivada no interior que, mais dia menos dia, gerará ações. Jesus diz que é do coração que procedem as más ações do ser humano (Mateus 5:19), por isso Provérbios 4:23 nos adverte para guardarmos o coração, pois dele depende toda a nossa vida.

0
0
0
s2smodern
0
0
0
s2smodern

OUVINDO A VOZ DE DEUS - CIRCUNSTÂNCIAS

“Se suportais a correção, Deus vos trata como filhos; porque, que filho há a quem o pai não corrija?” (Hebreus 12:7)

Além da Palavra de Deus e da nossa consciência, Deus usa as circunstâncias da vida para falar conosco. Aqui também precisamos estar atentos para reconhecer a voz de Deus. A maioria das pessoas não consegue perceber como Deus fala através das circunstâncias, tanto das boas como das más. Aliás, é normal as pessoas acharem que Deus usa apenas as circunstâncias ruins para falar conosco; talvez pelo fato de que estas sejam as circunstâncias que nos levam a clamar a ele buscando solução.

Para facilitar a compreensão vamos ver três circunstâncias da vida e entender como Deus nos fala nelas:

0
0
0
s2smodern
0
0
0
s2smodern
0
0
0
s2smodern
0
0
0
s2smodern
0
0
0
s2smodern
0
0
0
s2smodern
0
0
0
s2smodern

Depoimento Bíblico

"Disse o Senhor Deus: Não é bom que o homem esteja só. Far-lhe-ei uma auxiliadora que lhe seja idônea. Então o Senhor fez cair pesado sono sobre o homem, e este adormeceu; tomou uma das usas costelas, e fechou o lugar com ar. E disse o homem: Esta, afinal, é osso dos meus ossos e carne da minha carne; chamar-se-à varoa, porquanto do varão foi tomada. Por isso deixa o homem pai e mãe, e se une à sua mulher, tornando-se os dois uma só carne. Ora, um e outro, o homem e sua mulher, estavam nus, e não se envergonhavam" (Gn. 2:18-25).

1 - Assim como Deus fez de uma pessoa (Adão) duas pessoas (Adão e Eva), Ele quer fazer de duas pessoas uma (Gn. 2:24).

2 - Jesus Cristo escolheu o casamento para representar o seu relacionamento com a Igreja (Ef. 5:22-32; I Pe. 3:7).

3 - Deus escolhe a família para trabalhar com o homem.

4 - Deus previa que o homem não conseguiria viver só, ou seja, não é auto-suficiente, por isso preparou-lhe uma auxiliadora, que lhe fosse idônea (Gn. 2:18 – ARA) - esta palavra idônea traduzida do hebraico significa adequada, ou seja, uma mulher que iria se adequar a Adão (além de ser uma mulher respeitável e digna).

5 - O homem e a mulher ao casarem-se devem deixar pai e mãe (Gn 2:24), ou seja, devem desvencilhar-se de tudo que possa impedir a comunhão perfeita entre o casal, tudo que seja obstáculo deve ser removido. Nada pode estar entre ou separando o casal: seus familiares, preferências pessoais, trabalho, interesses, egoísmo, etc.

6 - O relacionamento entre o casal é um eterno crescimento, este processo de unidade entre marido e mulher é que vai dar estabilidade à família, vai estabelecer o respeito dos filhos pelos pais. Se o casal está dividido a autoridade é minada e enfraquecida (a casa dividida contra si mesma cairá - Lc. 1:17).

7 - Deus quer que o casal seja unido a tal ponto que não haja brecha entre eles para Satanás operar.

8 - O segredo para um casamento feliz é a presença de Jesus no casamento (... "O cordão de três dobras não se arrebenta com facilidade" Ec. 4:12 - Jesus é a terceira dobra ou nó que vai dar sustentação, solidez e garantia de permanência do casamento).

9 - Em Gn. 2:25 diz: “... O homem e a mulher estavam nus, e não se envergonhavam...”.

Que tipo de relacionamento era este?

  1. Era uma relação onde não havia ódio, rancor, mágoa, ressentimento, amargura.
  2. Era uma relação onde não havia medo, não havia ameaças, disputa pela liderança ou poder no relacionamento. Numa relação de medo não pode haver uma plena comunhão.
  3. Era uma relação onde não havia culpa - A culpa e o medo andam juntas; o medo aparece pela primeira vez depois que o homem e a mulher pecaram. (Gn. 2:6-10).

 

Qual é o tipo de amor que deve existir entre marido e mulher? Existem quatro formas de amor (traduzido do grego):

 

1)      Eros: deus da sensualidade: amor físico e sexual (começa sempre com os olhos), donde surgem as palavras eróticas, erotismo. Ex: Filmes e revistas pornográficas (eróticas).

2)      Phileo: é o amor ao próximo; é o amor filantrópico (filantrópico vem da palavra "phileo"); amor humanitário, altruísta, cívico e comunitário - Lc. 7:34.

3)      Storge: amor familiar, amor romântico, amor conjugal. Ex: Amor entre esposo e esposa, pai e filhos, etc.

4)      Ágape: Amor Divino. É o amor de Deus derramado em nossos corações (Rm 5:5, I Jo. 4:8). É um amor que não conhece limites, é o amor desinteressado, que dá sem esperar recompensa - I Co. 13:4-7.

Este é o tipo de amor que deve existir entre marido e mulher.

 

NAMORO:

É a fase do conhecimento para o casamento, é o início da procura de uma companheira. Não havendo sucesso no namoro, não haverá sucesso no casamento.

Quais são as cinco situações do solteiro?

  1. Celibato continente (castidade): permanecer solteiro, isento de fornicação ou qualquer outra prática sexual ilícita, a fim de viver para Deus e fazer a sua obra - Mt. 19:12.
  2. Celibato incontinente: Permanecer solteiro, tornando-se profano, impuro e praticante do sexo (I Co. 7:2).
  3. Casamento Feliz: felicidade não quer dizer ausência de problemas. Duas pessoas que tem Cristo como Senhor do casamento, podem desfrutar de um casamento feliz.
  4. Casamento infeliz: Quando Cristo não é o centro do casamento a tendência é a infelicidade conjugal.
  5. Solteirismo: é uma síndrome psíquica, decorrente do estacionamento do ser humano, na sua evolução afetiva, estacionamento esse ocorrido na faixa dos 3 aos 6 anos de idade.

 

Princípios para o Namoro:

1)      Basear o namoro nos princípios e propósitos de Deus.

2)      A prioridade no namoro deve ser a área espiritual, ou seja, a área espiritual vai controlar ou governar o relacionamento emocional e físico; controlando assim os desejos e pensamentos sexuais. Portanto todo jovem deve desenvolver a área espiritual, buscando a maturidade espiritual.

3)      Ao começas o namoro, não coloque em 1º. lugar o romance amoroso e sim a razão. Busque conselhos sábios por quem sabe e pode dar e cuidado com imaturidade da juventude.

4)      Não namore para passar tempo; o namoro sem propósito é o mesmo que flerte (o flerte tende a continuar após o casamento).

5)      O descontrole de não poder ficar sem namorar: Há rapazes e moças que se não estiverem namorando ficam inquietos e descontrolados.

6)      Namoro Misto; é namorar um descrente. Quem namora um descrente, namora também com seus pecados, vícios, problemas morais e mundanismo.

 

Depoimento Bíblico:

"Não vos ponhais em jugo desigual com os incrédulos; porquanto, que sociedade pode haver entre a justiça e a iniquidade? ou que comunhão da luz com as trevas? Que harmonia há entre Cristo e o Maligno? ou que união do crente com o incrédulo? Que ligação há entre o santuário de Deus o os ídolos?” (II Co. 6:14-16).

Tenha certeza que a pessoa com quem você vai casar-se é convertida. Muitos crentes usam estas desculpas para poderem namorar um descrente:

1)      Estamos simplesmente namorando. Não temos a intenção de casar.

2)      Ele (a) não é crente, mas é legal.

3)      Nós temos muita coisa em comum.

4)      Eu disse que para ele(a) namorar comigo, ele(a) deveria aceitar Jesus e ele(a) aceitou.

5)      Ele(a) disse que nossos filhos poderão frequentar a Igreja.

Consequencias do namoro misto:

  1. a) Desobediência da vontade de Deus.
  2. b) Perigo de escolher o incrédulo, e deixar Deus.
  3. c) Esfriamento espiritual, até o desvio dos caminhos do Senhor I Co. 10:12.

 

A permissividade no namoro:

O Amor do casal:

ü      Deve começar no namoro - no plano espiritual.

ü      Deve continuar no noivado - no plano social.

ü      Deve realizar-se no casamento - no plano físico.

 

Permissividade é o abuso da liberdade na área amorosa (Pv. 6:27-28, 20:21; I Co. 6:12, I Ts. 4:3-4), muitos casais tem hoje problemas porque começaram seu namoro no plano físico.

Se há liberdade sexual no namoro, este relacionamento vive em conflito, gerando insegurança e desrespeito mútuo, minando a confiança, pois é um relacionamento baseado na culpa. Use sempre a palavra NÃO quando for necessário.

Quando há liberdade sexual no namoro, o jovem e a jovem são defraudados, ou seja, desperta-se neles um desejo sexual que não pode ser satisfeito dentro do plano de Deus.

Cuidado com a atração sexual: não namore porque a pessoa lhe atrai fisicamente, não namore se não houver amor verdadeiro.

Cuidado com profecias sobre casamento.

Procure nunca ficar a sós com a sua namorada(o). Esteja envolvido sempre com outros jovens da igreja. Planejem atividades em grupo.

Cultive o hábito de sempre orar com sua namorada. O namoro deve ser a três: Namorado + Namorada + Jesus Cristo.

Procure durante o seu namoro estudar a Bíblia junto com seu namorado(a). Coloquem a Bíblia como regra de fé e prática.

Procure ter comunicação franca e aberta com seu namorado(a), desenvolvendo fidelidade, honestidade e principalmente o perdão.

Além do conhecimento bíblico, procure ler bons livros que tratam sobre namoro, noivado e casamento.

Conselho aos que pretendem casar:

1)      Não te cases por riquezas, o dinheiro pode comprar uma casa, mas não pode comprar um lar.

2)      Não te cases só porque todos se casam - modismo.

3)      Não te cases com alguém doente de ciúme - o ciúme piora após o casamento.

4)      Não te case com alguém preguiçoso ou preguiçosa.

5)      Não te cases com incrédulo ou incrédula: É melhor ir para o céu sozinho do que para o inferno acompanhado.

6)      Não te cases sem a aprovação de Deus, das famílias envolvidas e da Igreja.

7)      Não te cases por causa da idade.

8)      Não te cases por causa de oportunidade.

9)      Não te cases sem amor total e mútuo.

Cinco perguntas para nelas meditar e levar a Deus em oração:

  1. Devo ou não casar?
  2. Quando devo casar? Maturidade e preparo espiritual.
  3. Com quem devo casar? O casamento envolve aprovação das famílias, da igreja, de Deus e sua própria (Col. 3:15ARA).
  4. Estou preparado para casar? Situação sócio-econômica, moradia, etc.
  5. Por que quero casar? Rapaz quer casar para ter alguém que lhe faça as coisas. Rapaz quer casar porque precisa de mulher. Ambos querem casar para terem liberdade, amparo, ser independente, dar uma satisfação à sociedade.

 

NOIVADO:

Devemos pedir confirmação à Deus ao assumirmos um compromisso de noivado, pois este compromisso será feito diante dos familiares, da igreja e de Deus.

Quando um casal assume um compromisso de noivado deve lembrar-se que não estão casados ainda, por isso devem controlar suas emoções e paixões.

Os noivos não devem desenvolver o relacionamento físico, antes do casamento, pelo seguinte:

  1. Deus é contra; é fora dos padrões bíblicos o sexo pré-nupcial.
  2. "Pos esta é a vontade de Deus, a vossa santificação: Que vos abstenhais da prostituição, que cada um de vós saiba possuir o próprio corpo, em santificação e honra, não com desejo de lascívia (impureza, sensualidade) como os gentios que não conhecem à Deus (I Ts. 4:3-7)".
  3. O sexo pré-nupcial desvaloriza a pessoa: perde-se o respeito um para com o outro, mina a confiança, nasce um sentimento de culpa.
  4. O sexo pré-nupcial prejudica a vida matrimonial: A mulher por ter perdido a virgindade poderá sentir ressentimento do marido, podendo tornar-se agressiva. E o marido pode sentir-se culpado e frustrado, tornando-se passivo no relacionamento.
  5. O sexo pré-nupcial destorce o relacionamento.

 

O CASAMENTO FELIZ:

Não estamos falando de casamento perfeito, porque não existem no mundo duas pessoas perfeitas; sem falhas. O casamento feliz é uma relação de crescimento, é uma relação que está melhor a cada dia, hoje é melhor que ontem.

Quais são os propósitos divinos no casamento:

1)      Companheirismo e complementação mútua do casal (Gn 2:18, ICo. 11:9, 11).

2)      Satisfação amorosa e mútua do casal (Ec. 9:9).

3)      Propagação do gênero humano (Gn. 1:28).

4)      Preservação da pureza moral, na família e na sociedade (I Co. 7:2).

5)      Estabelecimento do Lar (Mt. 19:5).

6)      Ser um meio de falar de Cristo e da Sua igreja (Ef. 5:31-32). O casamento é a base da sociedade e da igreja.

 

Características para a felicidade conjugal:

  1. Piedade dos cônjuges diante de Deus (Pv. 31:30) - vida santificada (I Co. 7:5-6) - Casamento cristocêntrico: o casal deve sempre orar junto e não deixar de praticar diariamente o culto doméstico.
  2. Amor pleno e mútuo (Pv. 10:12) - o amor não é a causa única da felicidade conjugal, mas é a principal (I Co. 7:3, I Pe. 3:1, Ef. 5:22-25 e 28). Uma esposa bem amada muito dificilmente deixa de responder à altura do amor que recebe.
  3. Vida Sexual equilibrada: É plano de Deus que o casal viva uma vida sexual abundante, gratificante e ajustada, mas dentro dos limites que a Palavra de Deus estabelece. Não fomos feitos para nos exceder, nós não fomos feitos para sermos criaturas sexocêntricas, Deus nos fez para sermos Cristocêntricos. Não devemos esquecer que a nossa esposa ou esposo é também nossa irmã ou irmão em Cristo. Assim sendo, nenhum homem tem o direito de abusar ou de escravizar o corpo de sua esposa, pelo que deve agir com moderação, consideração e respeito (I Pe. 3:7).

 

Depoimento Bíblico:

Não vos priveis um do outro, salvo por mútuo consentimento, por algum tempo, para vos dedicardes à oração e novamente vos ajuntardes, para que Satanás não vos tente por causa da incontinência (I Co. 7:4-5).

O marido não deve decidir se privar de relação sexual com sua mulher salvo por mútuo consentimento, o mesmo acontece com respeito à mulher. Ambos devem se lembrar que de acordo com a Bíblia, agora são "uma só carne”.

Portanto, o marido deve se colocar à disposição do prazer da sua esposa, assim como a mulher.

 

Maturidade do casal: psíquica, social e espiritual.

Tem a ver com o nível de responsabilidade, como a pessoa aprende a reagir com as experiências. Um relacionamento imaturo redunda num desajustamento conjugal.

Características da Imaturidade:

1)      Egocentrismo: querer prevalecer suas idéias e pontos de vista, querer estar em evidência.

2)      Falta de auto-disciplina: não assumir suas responsabilidades.

3)      Falta de auto-controle: não controlar suas emoções, sentimentos, vontades.

4)      Viver de sonhos: não enfrentar e não aceitar a realidade: dificuldades financeiras, problemas, etc.

5)      Não admitir errar: não ter a humildade suficiente para reconhecer seus erros.

 

Características da Maturidade:

  1. Família como centro: buscar sempre aquilo que seja o melhor para a família.
  2. Assumir responsabilidades: saber que o esposo e a esposa têm responsabilidades, devendo assumi-las.

 

Responsabilidades do marido:

  1. a) Posição de liderança: o marido é o cabeça da casa, da esposa; a mulher precisa aceitar a autoridade do marido, ser submissa. Porém o marido não pode ser autoritário, o seu modelo deve ser Jesus (Ef. 5:23-25). Assim o marido deve cuidar da manutenção da família. (I Tim. 5:8).
  2. b) O Marido deve ser sacerdote do lar: O marido deve ser guia espiritual da família, devendo estabelecer na mente e coração de sua esposa e filhos a singular importância de ter o altar da família sempre em pé. Deve ser o marido responsável pela manutenção do culto doméstico diário (Ef. 5:26).
  3. c) O Marido deve amar a sua esposa: Quando ele ama a esposa, Deus tem liberdade para criar nela o respeito por ele. O marido não deve poupar esforços no sentido de semear este amor, pois é um mandamento bíblico. (... vós maridos, amai as vossas mulheres... Ef. 5:25,28,29).O marido deve lembrar que quanto mais ele ama a sua esposa, mais a esposa responde a altura desse amor recebido, respeitando-o e tornando-se cada vez mais submissa.
  4. d) Carregar os fardos dela: ajudá-la em todos os aspectos, lembrando-se que a mulher é mais sensível que o homem (... vaso mais fraco... I Pe. 3:7).
  5. e) Ser compassivo: O homem deve ser misericordioso com a esposa, não deve ser dogmático, autoritário e obstinado, mas deve cultivar um espírito de mansidão e sensibilidade com a esposa.
  6. f) Nunca usar linguagem agressiva: evitar gritarias, ira; mas ser compreensível e amigável.
  7. g) Deve louvar sua esposa: nunca zombar da esposa na presença de outras pessoas.

 

Responsabilidades da esposa:

  1. a) Ser submissa (Ef. 5:22): a submissão de uma mulher ao homem não é uma submissão cega e sim inteligente. O marido deve lembrar que a mulher tem o direito de pensar e expressar suas idéias diferentemente do marido.
  2. b) A submissão é um profundo sentimento de confiança arraigado no coração da mulher, com respeito à soberania de Deus na vida do marido. Isto significa que antes da mulher ser submissa ao marido, ela deve dar prova de submissão ao Senhor. Quando, porém, uma decisão tem de ser tomada e existe uma diferença de opinião, a esposa deve reagir com uma atitude de cooperação aceitando a palavra final do marido, mas sempre colocando o problema e a decisão nas “mãos do Senhor”, para que Ele possa confirmar ou direcionar melhor esta decisão.
  3. c) Auxiliadora (Gn. 2:20):
  4. No sentido afetivo: se entregar ao esposo com amor e inteireza de coração.
  5. No sentido social: conservar a imagem do marido como um homem de bem diante da igreja e da sociedade.
  6. No sentido profissional: ajudar o marido a superar as crises que possam advir nesta área da vida.
  7. No sentido espiritual: a esposa deve sempre orar pelo marido.
  8. d) Deve respeitar o marido: respeito no relacionamento esposo-esposa implica obediência e sujeição. A esposa deve honrar o marido, reconhecendo e valorizando as boas qualidades do marido e também perdoando suas falhas e erros.
  9. e) Deve ser fiel a seu marido: lealdade, firmeza nas afeições e sentimentos.
  10. f) Deve ser virtuosa (Pv. 31:10-31).

Qualidades da mulher virtuosa:

ü      Ela é laboriosa ou trabalhadeira (Pv. 31:13,19,24);

ü      É ajuizada (Pv. 31:16,18);

ü      É forte e lutadora (Pv. 31:17);

ü      É boa dona de casa (Pv. 31:15,21,27);

ü      É sábia (Pv. 31:26);

ü      É boa mãe (Pv. 31:28);

ü      É boa esposa (Pv. 31:11,12,23,28);

ü      É temente à Deus (Pv. 31:30);

ü      Aceitar o seu esposo(a) como ele(a) é: incentivando a auto estima, valorizando os pontos positivos da personalidade do esposo(a).

ü      Admitir errar: reconhecer seus erros e limitações, buscando em Deus uma melhora. Perdoando as falhas passadas.

ü      Ajustamento conjugal: O marido e a mulher vieram de universos sociais totalmente diferentes, isto nunca deve ser esquecido. Deve o casal sempre lembrar-se destas palavras "errei", "desculpe-me", "perdoe-me", "obrigado", "eu te amo".

Tipos de maridos ou pais:

1)      Ditador: manda sozinho sem ouvir a opinião da esposa. Não dá satisfação de seus atos. É tirano, cruel.

2)      Teimoso: nunca admite que está errado. É infalível.

3)      Insensível: É frio, mau, torturador, ingrato, desprezador. É normalmente infiel.

4)      Silencioso: Este governa sem comunicação. Massacra com seu silêncio doentio.

5)      Explosivo: Dá "curto-circuito" num momento, mas logo passa a tempestade, governa pela força e ameaça, perdendo o respeito da esposa e dos filhos.

6)      Crítico: Vê sempre tudo errado.Acha que ninguém sabe fazer nada direito.

7)      Negligente: É gastador. Não se preocupa com o futuro da família.

8)      Indeciso: Não toma decisões. Dirigido pela esposa.

9)      Hipócrita: Fala bem da mulher e dos filhos na ausência, mas é hostil e briguento na presença.

10)  Ciumento (sem causa): É imaturo, desconfiado, inseguro.

11)  Ideal: Amoroso, provedor, protetor, piedoso, prudente, fiel, democráticos (ouve e pondera opiniões antes de agir), firme nas atitudes.

 

Tipos de Esposas ou Mães:

1)      Malcriada: Briguenta e respondona.

2)      Opiniosa: Só dá opiniões fora de hora.

3)      Punidora: Pune o marido e os filhos de várias maneiras.

4)      Fofoqueira: normalmente é preguiçosa.

5)      Irresponsável: Imatura.

6)      Pródiga: Gastadeira sem poder.

7)      Ciumenta (sem causa).

8)      Reclamadora: Insatisfeita.

9)      Nervosa: É agitada, gritadeira.

10)  Resignada: Desiludida.

11)  Parcial com os filhos.

12)  Ideal: Cuidadosa, piedosa, amorosa, caprichosa, trabalhadora, prudente, econômica, obediente e fiel.

0
0
0
s2smodern

Nosso Facebook

Pastores

Pastor Vaner Mombach

Vaner Mombach

Pastor titular PIBSD  Novo Hamburgo

Pastor Edson M. Teixeira

Edson M. Teixeira

Pastor Evangelista

Pastor Martiliano Pimenta

Martiliano Pimenta

Pastor da Congregação boa Saúde

 

Outros sites

Conferência Nacional

Site Conferência Nacional
Site Conferência Nacional

 Site Igreja Joinville

Site da Igreja Batista do Sétimo Dia de Joinville
Site da Igreja Batista do Sétimo Dia de Joinville

 Site de estudos Graça Maior

Site de estudos Graça Maior
Site de estudos Graça Maior

Mais artigos